English version below
"Não é normal. É solitário e enlouquecedor. Uma dor indescritível, forte e paralisante. Pequenos detalhes da vida tornam-se grandes desafios. Sentar, ir ao banheiro, subir escadas, tudo parece impossível sem algumas muitas pílulas de remédios pra dor. Somos muitas e precisamos falar sobre essa doença. Ainda não  temos cura, mas temos esperança."
 Hannah R. Parnes, 22
A endometriose é uma doença que faz com que partes do tecido do útero cresçam em regiões anômalas, como paredes do intestino, ovários e bexiga. A inflamação causada por esse processo causa desde dores brandas frequentemente confundidas com cólicas até efeitos mais graves, como dor aguda crônica e infertilidade - o que só é piorado pelo fato de que não há cura definitiva. No Brasil, atinge cerca de seis milhões de mulheres. Mesmo tendo atendimento previsto pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e causando dor incapacitante - quando a pessoa é impedida de exercer suas atividades básicas do cotidiano - ainda não consta na lista do INSS (Instituto Nacional de Seguro Social) como uma doença que permita a aposentadoria de quem a possui. 
As fotos dessa série foram feitas em razão da cirurgia de retirada dos focos de endometriose da Hannah, com  quem estou dividindo a quarentena do COVID-19. Essa proximidade me permitiu acompanhar de perto a rotina de dores intensas, consultas e remédios anti-inflamatórios a que ela foi submetida pela doença. A esperança levantada pelo tratamento, no entanto, nos faz querer trazer a tona o tema: Apesar da grande quantidade de pessoas acometidas no mundo inteiro, ela ainda é tratada por muitos como exagero ou "frescura". Não é. 
Por isso, gostaríamos de dizer a cada mulher que sente dores abdominais que parecem não passar que no mar de diagnósticos errados e dificuldades, existe esperança por uma vida digna e com alegria.

Obrigado,
Teo e Hannah
"It's not normal. It's lonely and maddening. An indescribable, strong and paralyzing pain. Small details of life become big challenges. Sitting, going to the bathroom, climbing stairs, everything seems impossible without some many pain medication pills. We are many and we need to talk about this disease. We still have no cure, but we have hope. "
 Hannah R. Parnes, 22

Endometriosis is a disease that causes parts of the tissue of the uterus to grow in anomalous regions, such as walls of the intestine, ovaries and bladder. The inflammation caused by this process causes everything from mild pain often mistaken for colic to more serious effects, such as acute chronic pain and infertility - which is only made worse by the fact that there is no definitive cure. In Brazil, it affects about six million women. Even though care provided by the Unified Health System (SUS) and causing disabling pain - when the person is prevented from performing their basic daily activities - is still not on the INSS (National Social Security Institute) list as a disease that allows the retirement of those who own it.
The photos in this series were taken due to Hannah's endometriosis removal surgery, with whom I am sharing the quarantine of COVID-19. This proximity allowed me to closely monitor the routine of severe pain, consultations and anti-inflammatory drugs to which she was subjected by the disease. The hope raised by the treatment, however, makes us want to bring up the topic: Despite the large number of people affected worldwide, it is still treated by many as exaggeration or "freshness". It is not.
Therefore, we would like to tell every woman who feels abdominal pains that seem to go on that in the sea of ​​misdiagnosis and difficulties, there is hope for a dignified and joyful life.
Thanks,
Teo and Hannah

You may also like

Back to Top